Várias economias europeias estão a desenvolver-se individual e integralmente, criando novas oportunidades. As empresas que fazem negócios na Europa precisam de se manter no topo da paisagem política, económica e regulamentar em constante mudança.

Quer esteja apenas a vender ou a construir operações no terreno, aqui estão as principais questões a ter em mente quando estiver a planear ou a fazer negócios na Europa.

Acordos comerciais quando se faz negócios na Europa

Ter em mente que alguns acordos comerciais são regulados a nível da União Europeia e que a legislação de alguns Estados-Membros contém regras defensivas para esses distribuidores. Uma vez que as leis antitrust da UE são únicas, deve também considerar se o seu acordo europeu é conforme, uma vez que os critérios para avaliar uma violação da lei da concorrência podem variar das abordagens de outros países às questões antitrust.

Taxa de Juro Negativa Ambiente

As taxas de juro negativas são comuns em toda a zona Euro e não parecem estar a mover-se temporariamente. Por conseguinte, a maioria dos bancos está agora a transmitir comissões aos clientes que detêm saldos nestas moedas. Os clientes estão a ser solicitados a transferir fundos não operacionais para fora do banco ou é-lhes dado um certo limite a que devem ater-se. Em resposta, os clientes estão a encontrar utilizações para o seu excesso de dinheiro.

Torna-se cada vez mais crucial compreender onde tem dinheiro em excesso e integrar esses saldos nos seus painéis de relatórios de informação. Também deve examinar as suas estratégias de cobertura, uma vez que tem havido uma flutuação substancial entre as moedas europeias no ano passado.

Conflitos – escolha da lei e do foro

A escolha da lei é um aspecto significativo do acordo que está a negociar. A lei inglesa, por exemplo, tende a dar uma interpretação mais literal das palavras exactas utilizadas, enquanto outras jurisdições específicas dão mais peso ao senso comum contratual. Outras noções que diferem entre jurisdições incluem a medida em que as partes estarão sujeitas a deveres de boa fé, e se certas soluções contratuais serão consideradas como “penalidades” e, portanto, inaplicáveis.

Dependendo da jurisdição, outras cláusulas serão impostas ao contrato por lei, por exemplo, em relação à protecção do consumidor ou danos pessoais.

Assim, poderá querer aplicar a lei de uma jurisdição específica dependendo de vários factores, tais como a localização das outras partes, o fornecimento de serviços ou entrega de bens, ou leis mais aplicáveis ao seu negócio.

Para contratos transfronteiriços, poderá também querer considerar se a arbitragem internacional pode ser desejável para o litígio como um fórum para a resolução de conflitos.

Estrutura bancária

Os bancos europeus estão mais dependentes de empréstimos a curto prazo para financiar as suas necessidades de capital do que outros bancos.

Os depósitos e empréstimos são as duas principais fontes de fundos para os bancos, onde há concorrência para os depósitos, então os bancos precisam de depender da contracção de empréstimos. Assim, muitos bancos europeus têm elevados rácios empréstimo/depósito.

Várias das acções regulamentares podem resultar em asfixia do crescimento em alguns países europeus e reduzir o crédito concedido por alguns bancos. Esta é uma questão a controlar em termos de determinar onde operar e concentrar os seus recursos na Europa.

Alterações regulamentares

A compreensão do ambiente regulamentar aplicável ao seu negócio é uma consideração crítica.

Há numerosas alterações regulamentares a ter em conta quando se fazem negócios na Europa, incluindo as seguintes.

  • Ringfencing no Reino Unido.

Isto infere a divergência estrutural do lado retalhista e de recepção de depósitos comerciais dos bancos em relação às actividades imprevisíveis que podem ser levadas a cabo por essa instituição.

A fim de se adaptarem às regras de ringfencing, alguns bancos e outras instituições depositárias podem ter de reorganizar a sua estrutura e possivelmente algumas das suas funções bancárias.

  • Regulamento Geral de Protecção de Dados (GDPR).

Todos os bancos e empresas que operam na UE terão de cumprir as novas regras em matéria de segurança de dados.

O artigo 3 da GDPR afirma que se recolher dados privados ou informações comportamentais de alguém num país da UE, a sua empresa está sujeita aos requisitos da GDPR.

A transacção financeira não tem de ter lugar para que o extenso âmbito da lei faça efeito. Se a organização apenas recolhe dados pessoais como parte da análise de marketing, então os dados teriam de ser protegidos pelos requisitos da GDPR.

A aplicação das novas regras do GDPR é importante para assegurar que você e os seus parceiros bancários estão em conformidade.

Emprego

Geralmente, a legislação laboral na UE é menos favorável ao empregador na UE do que em alguns países, com cláusulas de rescisão contratual geralmente não permitidas e acordos de negociação colectiva comuns em alguns países.

Descobre os regulamentos estabelecidos pela legislação da UE sobre as condições de emprego do pessoal, alterações aos contratos de trabalho, e sobre a notificação e consulta do pessoal.

Imigração

A imigração de empresas é um tema vital na UE, uma vez que numerosas empresas estão a aceitar empregados de outros países da UE ou de terceiros. Deve considerar quais são as escolhas para os trabalhadores que gostaria de enviar para a UE e clarificar a estratégia e o tipo de apoio que pretende dar ao seu pessoal e às suas famílias.

Registos de PI

Certifique-se de que regista o seu PI em jurisdições estrangeiras e reveja a sua carteira de PI para garantir que está actualizada com os registos e datas de validade.

Embora as marcas, desenhos e patentes sejam salvaguardados através do registo a nível local e da UE, lembrem-se que a duração de cada direito é única e que a sua utilização ou licenciamento pode ser proibida pela legislação específica dos Estados-Membros. Além disso, reveja os seus actuais acordos de licença.

Serviços Financeiros e Passaporte

Sendo uma empresa de serviços financeiros que faz negócios na UE, o sistema de passaporte facilita a utilização de uma licença regulamentar de um país da UE em toda a UE. Quando obteve as suas licenças de serviços financeiros com um dos reguladores nacionais, não é necessária mais nenhuma licença para oferecer os mesmos serviços noutros países da UE, erradicando o fardo e os custos de aprovações regulamentares adicionais noutros países da UE.

Apesar das perspectivas positivas da região da UE, um planeamento estratégico cuidadoso é ainda um processo inevitável que deve ser completado tal como para qualquer outra entrada no mercado

Contacte agora o seu perito Damalion para registar a sua empresa na Europa e para começar a fazer negócios na Europa. Fazer negócios no Luxemburgo deve ser um óptimo começo.