Select Page

Escritório Damalion Bolívia

Fazendo negócios na Bolívia

Bem-vindo à Bolívia! O país sul-americano com grande potencial de investimento e crescimento.

A Bolívia despertou recentemente o interesse de investidores e empresários estrangeiros. O país goza de uma posição única na América do Sul devido às suas ligações à maioria dos países do continente. É também um destino popular para as empresas que querem testar mercados insaturados.

A Bolívia oferece muitas oportunidades e vantagens aos empresários que procuram entrar no mercado latino-americano. O país pode ser visto como uma ponte que liga outros países da América Latina. E em termos de investimento, não há limitações aos investimentos estrangeiros ou aos controlos cambiais.

Iniciar um negócio na Bolívia é uma oportunidade muito interessante para muitos investidores e empresários, uma vez que a nação tem visto mais comércio e melhores oportunidades de negócio.

Globalmente, a Bolívia é um óptimo lugar para fazer negócios, com uma cultura empresarial amigável e acolhedora, potenciais oportunidades de mercado, e uma mão-de-obra jovem e instruída.

Vantagens de fazer negócios na Bolívia

  • A economia da Bolívia tem vindo a crescer de forma constante durante a última década, o que proporcionou um ambiente favorável para as empresas prosperarem.
  • A Bolívia possui abundantes recursos naturais tais como gás natural, minerais e terras férteis para a agricultura, proporcionando oportunidades para investimentos nos sectores mineiro, energético e agrícola.
  • A Bolívia tem um custo de vida razoavelmente baixo e uma mão-de-obra jovem e instruída que é razoavelmente barata em comparação com outros países da região.
  • O governo boliviano implementou políticas para atrair investimento estrangeiro, incluindo incentivos fiscais, processos simplificados de registo de empresas, e protecção do investimento.
  • A Bolívia está centralmente localizada na América do Sul, o que permitiu o acesso fácil a um grande mercado de mais de 300 milhões de pessoas em países vizinhos como o Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Peru.
  • A Bolívia tem uma infra-estrutura em desenvolvimento, com boas ligações rodoviárias e aéreas aos países vizinhos. A Internet e as redes de telecomunicações também estão a melhorar, facilitando a realização de negócios à distância.
  • A Bolívia tem um potencial de mercado inexplorado, com uma classe média em crescimento e uma grande população de jovens que se estão a tornar cada vez mais especializados em tecnologia. Isto apresenta oportunidades para as empresas oferecerem produtos e serviços inovadores.
  • A Bolívia é membro do MERCOSUL, o que significa que tem acesso ao grande bloco económico da parte sul do continente. A Bolívia também faz parte da Organização Mundial do Comércio e outros tratados com países sul-americanos que permitem o livre fluxo de mercadorias e mão-de-obra.

Globalmente, a Bolívia oferece um ambiente empresarial favorável com uma localização estratégica, apoio governamental, uma economia em crescimento, e potencial turístico.

SISTEMA JURÍDICO

A Bolívia tem um sistema legal que se baseia no direito civil. A Constituição boliviana é a lei suprema do país e estabelece os direitos e deveres fundamentais dos cidadãos bolivianos. A Constituição também estabelece a divisão de poderes entre os ramos executivo, legislativo e judicial do governo.

O sistema jurídico boliviano baseia-se em códigos, que são compilações abrangentes e sistemáticas de leis, tais como o Código Civil, Código Comercial, Código Penal, e Código do Trabalho. Estes códigos são constantemente actualizados para reflectir as mudanças no ambiente legal.

O sistema judicial boliviano é independente e é composto por um Tribunal Supremo, tribunais departamentais, e tribunais distritais inferiores.

Investimento estrangeiro na Bolívia

O investimento estrangeiro na Bolívia tem vindo a aumentar constantemente nos últimos anos, uma vez que o país tem um ambiente empresarial favorável e oferece vários incentivos aos investidores estrangeiros.

Para encorajar o investimento estrangeiro, o governo boliviano criou agências de promoção do investimento, tais como a Pro Bolívia e a Agência de Promoção do Investimento, para ajudar os investidores estrangeiros a navegar no ambiente regulador e a identificar oportunidades de investimento.

Os investidores estrangeiros também estão autorizados a deter 100% dos seus negócios na Bolívia, sem restrições quanto ao repatriamento de lucros ou capital. Contudo, é importante notar que existem certos sectores onde a propriedade estrangeira é restrita ou proibida, tais como nos meios de comunicação social e nas indústrias de defesa. Além disso, os investidores locais e estrangeiros podem estar sujeitos a regulamentação se estiverem envolvidos nas indústrias de Mineração, Petróleo, Gás, Electricidade, Transportes, Telecomunicações, Jogos, e Agribusiness.

Globalmente, o investimento estrangeiro na Bolívia oferece oportunidades de elevados retornos do investimento, e o governo boliviano apoia o investimento estrangeiro e implementou políticas para facilitar aos investidores estrangeiros a realização de negócios no país.

Entity Choice in Bolivia

A Bolívia oferece várias estruturas empresariais que estão disponíveis para investidores e empresários que procuram fazer negócios no país. As estruturas empresariais mais comuns na Bolívia incluem:

Empresa Unipessoal (Empresa Unipessoal)

Esta é a forma mais simples de estrutura empresarial na Bolívia. É uma forma de empresa que é propriedade de uma única pessoa.

Características

  • É propriedade e operado por uma única pessoa que é responsável por todas as decisões empresariais e responsabilidades.
  • Esta estrutura é fácil de criar e manter mas não protege os bens pessoais.
  • Não há distinção legal entre o proprietário e a empresa.

Corporation (Sociedad Anonima ou S.A.)

Uma empresa é uma entidade jurídica que é propriedade dos accionistas e gerida por um conselho de administração.

Características

  • Esta estrutura proporciona uma protecção de responsabilidade limitada aos seus proprietários e pode angariar capital através da venda de acções.
  • As empresas são mais complexas de criar e manter e requerem mais obrigações legais e financeiras.
  • A gestão é da responsabilidade do conselho de administração da corporação, que incluiu três a doze indivíduos.
  • Pode ser constituído de duas formas, quer por um único acto, quer pela subscrição pública de acções.

Limited Liability Company – LLC (Sociedad de Responsabilidad Limitada – S.R.L.)

Uma LLC é uma estrutura empresarial que proporciona uma protecção de responsabilidade limitada aos seus proprietários.

Características

  • Pode ter entre dois e vinte e cinco parceiros.
  • É fácil de criar e manter, e os proprietários não são pessoalmente responsáveis pelas dívidas ou responsabilidades da empresa.
  • As acções de capital também devem ser pagas na totalidade no momento da constituição da sociedade.
  • É gerido pelos seus membros, e os membros não são pessoalmente responsáveis pelas dívidas e obrigações da LLC.

Parceria

Esta é uma estrutura empresarial em que dois ou mais indivíduos ou entidades se juntam para gerir um negócio.

Características

  • Existem dois tipos de parcerias na Bolívia: parcerias gerais e parcerias limitadas.
  • Numa parceria geral, todos os parceiros partilham os lucros e perdas igualmente
  • Numa sociedade em comandita, ambos os sócios gerais são responsáveis pela gestão do negócio, e os sócios comanditários só são responsáveis pelo montante do capital que investiram.
  • As parcerias são fáceis de estabelecer e manter, mas não protegem os bens pessoais.

Ramo (Sucursal)

Uma sucursal é uma extensão de uma empresa estrangeira na Bolívia.

Características

  • Esta estrutura permite às empresas estrangeiras realizar negócios na Bolívia sem a necessidade de estabelecer uma entidade jurídica separada.
  • As sucursais estão sujeitas às mesmas obrigações legais e financeiras que as empresas locais.
  • A empresa estrangeira é responsável por todas as dívidas e obrigações contraídas pela sucursal na Bolívia.
  • Tem representação legal e goza de independência de gestão nas actividades estabelecidas pela empresa-mãe.

Recomenda-se que os indivíduos consultem um advogado ou contabilista local antes de criarem uma empresa na Bolívia para assegurar o cumprimento de todos os requisitos legais. Se estiver interessado em iniciar um negócio na Bolívia, contacte agora o seu perito Damalion.

BANQUEAMENTO

O sistema bancário na Bolívia é considerado estável e bem regulado. Este sistema bancário é composto por uma variedade de instituições financeiras, incluindo bancos comerciais, bancos de desenvolvimento, instituições de microfinanças, e cooperativas de poupança e empréstimo.

Algumas das principais características do sistema bancário na Bolívia incluem:

Banco Central

O Banco Central da Bolívia (BCB) é responsável pela regulação do sector bancário e pela gestão da política monetária do país. Estabelece requisitos de capital, realiza auditorias regulares, e controla as actividades dos bancos para assegurar o cumprimento das leis e regulamentos bancários.

Tipos de Bancos

Existem vários tipos de bancos a operar na Bolívia, incluindo bancos comerciais, bancos de desenvolvimento, bancos de poupança e empréstimo, e bancos de microfinanças. Estes bancos oferecem uma gama de serviços bancários a indivíduos, empresas e entidades governamentais, incluindo contas de poupança, contas correntes, empréstimos, cartões de crédito, transferências bancárias, e câmbio de moeda estrangeira.

Abertura de uma conta bancária na Bolívia

Para abrir uma conta bancária na Bolívia, é necessário ter o estatuto de residente temporário. Para além disso, também irá requerer o seu cartão de identificação de estrangeiro, o seu passaporte, prova de rendimentos, um endereço no país, e um depósito inicial.

Uma vez satisfeitas as condições acima mencionadas, poderá abrir uma conta corrente, uma conta poupança ou um depósito a prazo fixo.

Com a papelada certa, não é difícil abrir uma conta bancária na Bolívia, mas pode ser um pouco difícil escolher o banco apropriado para o seu negócio. Além disso, é necessário um conhecimento claro da papelada que irá preencher, das taxas de câmbio e de câmbio, e outros detalhes significativos. Contacte agora os seus peritos Damalion e deixe-nos ajudar.

IMMIGRAÇÃO

Se decidir mudar-se para a Bolívia, seja para negócios ou para o seu estilo de vida adequado, está mandatado para o fazer da forma legal e obter um visto de residente.

Tipo de Residência na Bolívia

A Bolívia oferece várias opções para a obtenção de residência, incluindo as seguintes:

  • Visto de trabalho: se lhe for oferecido um emprego na Bolívia, pode candidatar-se a um visto de trabalho. Este visto requer uma oferta de emprego de um empregador boliviano, e o empregador deve apresentar provas de que não foi possível encontrar um cidadão boliviano para preencher a vaga.
  • Visto de Investimento: este é para indivíduos de elevado valor líquido que fazem um investimento significativo na Bolívia. Este visto requer um investimento mínimo especificado e pode ser utilizado para iniciar um negócio ou fazer outros investimentos (em qualquer sector) no país.
  • Visto de reforma: se tiver mais de 50 anos e um rendimento mensal mínimo especificado, pode requerer um visto de reforma. Este visto permite-lhe viver na Bolívia sem a necessidade de uma autorização de trabalho.
  • Visto de Família: se tiver familiares que sejam cidadãos bolivianos ou residentes permanentes, poderá ser elegível para um visto de família. Este visto permite-lhe viver na Bolívia com os membros da sua família.

Visto de estudante: se planeia estudar na Bolívia, pode solicitar um visto de estudante. Este visto é válido para a duração dos seus estudos e exige prova de inscrição numa instituição de ensino reconhecida.

Residência permanente na Bolívia

Se planeia mudar-se permanentemente para a Bolívia, pode obter um visto de residente permanente após 2 anos de residência no país. Isto permitir-lhe-á viver na Bolívia por um período de tempo indefinido.

Para se candidatar a residência na Bolívia, terá de fornecer vários documentos, pelo que se recomenda que consulte um profissional para o ajudar a navegar no processo de candidatura e assegurar-se de que todos os documentos necessários estão em ordem. Contacte agora os seus peritos Damalion e deixe-nos ajudar.

REGIME FISCAL

Autoridade fiscal

A autoridade fiscal na Bolívia é o Serviço Nacional de Impostos (Servicio de Impuestos Nacionales ou SIN). É uma entidade descentralizada sob a tutela do Ministério da Economia e das Finanças Públicas e é responsável pela cobrança e gestão das receitas fiscais no país.

O SIN é responsável pela administração do sistema fiscal na Bolívia, que inclui a cobrança de impostos, a auditoria dos contribuintes e a imposição do cumprimento das leis e regulamentos fiscais. Fornece também informação e educação fiscal aos contribuintes e ao público.

Residência fiscal

Como residente fiscal na Bolívia, um indivíduo está geralmente sujeito a tributação sobre o seu rendimento mundial. Isto inclui rendimentos provenientes do emprego, actividades comerciais, investimentos, e outras fontes.

Os não residentes, por outro lado, são tributados apenas sobre os seus rendimentos derivados de fontes dentro da Bolívia, tais como rendimentos de arrendamento de propriedades localizadas na Bolívia ou rendimentos obtidos de trabalho realizado dentro do país.

Na Bolívia, a residência fiscal é determinada com base na presença física de um indivíduo no país. Um indivíduo é considerado um residente fiscal na Bolívia se estiver fisicamente presente na Bolívia durante 183 dias ou mais num ano.

Tipos de Impostos

Na Bolívia, existem vários tipos de impostos que os indivíduos e as empresas podem ser obrigados a pagar. Aqui está uma visão geral dos principais tipos de impostos e das suas taxas correspondentes:

  • Imposto sobre o rendimento: este imposto é imposto às pessoas singulares e colectivas com base nos seus rendimentos. A taxa de imposto actual para indivíduos é progressiva, variando de 0% a 13%, dependendo do nível de rendimento. Para as empresas, a taxa de imposto é fixa em 25% sobre o seu rendimento líquido.
  • Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA): O IVA é um imposto sobre o valor acrescentado em cada fase da produção e distribuição de bens e serviços. A actual taxa normal do IVA na Bolívia é de 13%.
  • Imposto sobre consumos específicos: este imposto é cobrado sobre bens específicos, tais como tabaco, álcool, gasolina, e veículos. As taxas do imposto especial de consumo variam em função do tipo de produto. Por exemplo, o imposto sobre a gasolina é actualmente de cerca de 40%, enquanto o imposto sobre os cigarros é de cerca de 150%.
  • Impostos Municipais: os governos locais na Bolívia estão autorizados a cobrar impostos sobre a propriedade e outras actividades locais. Estes impostos variam dependendo da localização e podem incluir impostos sobre a propriedade, impostos sobre veículos, e impostos sobre a actividade comercial.
  • Imposto sobre Transacções Financeiras: este imposto é cobrado sobre transacções financeiras, incluindo transferências bancárias e levantamentos em ATM. A taxa de imposto actual é de 0,3% do montante da transacção.
  • Imposto de Selo: este imposto é imposto sobre documentos legais, tais como contratos e acordos. A taxa actual do imposto de selo é de 3% do valor da transacção.

Note-se que estas taxas e tipos de impostos podem mudar ao longo do tempo, e alguns impostos podem estar sujeitos a isenções ou deduções, dependendo das circunstâncias.

Arquivo fiscal e penalizações

Os contribuintes na Bolívia são obrigados a apresentar anualmente declarações de impostos. O prazo para a apresentação das declarações fiscais é normalmente em Abril ou Maio de cada ano. O não pagamento de impostos ou não apresentação atempada de declarações de impostos pode resultar em penalidades e encargos com juros.

Convenções para evitar a dupla tributação

A Bolívia assinou vários tratados fiscais com outros países para evitar a dupla tributação e evitar a evasão fiscal.

Os diferentes tipos de tratados fiscais que a Bolívia assinou com outros países incluem:

  • Acordos de Prevenção da Dupla Tributação (DTAs): estes tratados destinam-se a evitar a dupla tributação sobre o mesmo rendimento, estabelecendo regras sobre a forma como o rendimento é tributado quando é auferido num país por um residente de outro país.
  • Acordos de Intercâmbio de Informações Fiscais (TIEAs): estes acordos destinam-se a promover o intercâmbio de informações entre as autoridades fiscais de diferentes países para prevenir a evasão fiscal e promover o cumprimento da legislação fiscal.
  • Assistência Administrativa Mútua em Matéria Fiscal (MAATM): estes acordos destinam-se a prestar assistência administrativa mútua entre as autoridades fiscais de diferentes países para promover o cumprimento da legislação fiscal e prevenir a evasão fiscal.

Os termos e condições específicas destes tratados fiscais podem variar, dependendo do país envolvido e do tipo de tratado.

A Bolívia assinou tratados fiscais com Argentina, Brasil, Canadá, China, Chile, Cuba, Dinamarca, Equador, França, Finlândia, Alemanha, Itália, Índia, Japão, México, Noruega, Países Baixos, Paraguai, Portugal, Peru, Rússia, Coreia do Sul, Espanha, Suíça, Suécia, Reino Unido, Estados Unidos, Uruguai, Venezuela

O regime fiscal na Bolívia é complexo, e recomenda-se que indivíduos e empresas procurem o conselho de um profissional fiscal qualificado para assegurar o cumprimento das leis e regulamentos fiscais.

PATRIMÔNIO INTELECTUAL

A protecção da propriedade intelectual (PI) na Bolívia é regida pela Lei da Propriedade Intelectual da Bolívia, que foi promulgada em 1992 e que foi alterada várias vezes desde então.

A Lei boliviana da propriedade intelectual prevê a protecção de vários tipos de PI, incluindo:

Patentes

  • As patentes protegem as invenções, tais como novos produtos ou processos, durante um período limitado.
  • Para ser patenteável, uma invenção deve ser nova, não óbvia, e capaz de aplicação industrial.
  • Um titular de patente pode executar os seus direitos através de uma acção de re-vindicação.
  • Na Bolívia, as patentes são concedidas pelo Instituto Boliviano de Propriedade Intelectual (SENAPI) por 20 anos a partir da data do depósito.

Marcas

  • As marcas protegem sinais distintivos, tais como logótipos ou nomes de marcas, que são utilizados para distinguir bens ou serviços no mercado.
  • Para poder ser registada, uma marca deve ser distintiva e não confundir os consumidores com marcas existentes.
  • O titular de uma marca pode implementar os seus direitos através de uma acção perante a autoridade aplicável.
  • Na Bolívia, as marcas são registadas no SENAPI e são válidas por 10 anos, renováveis por períodos adicionais de 10 anos.

Direitos de autor

  • Os direitos de autor protegem obras originais de autoria, tais como obras literárias, artísticas, e musicais.
  • Na Bolívia, os direitos de autor são automaticamente concedidos aquando da criação da obra e não requerem registo. Contudo, recomenda-se o registo de obras protegidas por direitos de autor no SENAPI para facilitar a execução em caso de infracção.
  • Os direitos de autor na Bolívia são protegidos por uma resolução concedida pelo Registo Boliviano de Direitos de Autor.
  • A protecção dos direitos de autor dura toda a vida do autor mais 50 anos após a sua morte.

Desenhos industriais

  • Os desenhos industriais protegem a aparência visual dos produtos, tais como a forma, configuração, ou ornamentação de um produto.
  • Para ser registável, um desenho industrial deve ser novo e ter um carácter individual.
  • Na Bolívia, os desenhos industriais estão registados no SENAPI e são válidos por 10 anos, renováveis por períodos adicionais de 5 anos.

A aplicação dos direitos de PI na Bolívia pode ser um desafio, e recomenda-se que procure aconselhamento jurídico junto de um advogado de PI qualificado se precisar de proteger os seus direitos de PI no país.

TRABALHO E EMPREGO

A lei laboral e laboral na Bolívia é regida pelo Código do Trabalho (Codigo del Trabajo), que foi promulgado em 1939 e foi alterado várias vezes desde então. O Código do Trabalho estabelece os direitos e obrigações dos empregadores e empregados, bem como os procedimentos para disputas laborais e negociação colectiva.

A aplicação da lei laboral e laboral na Bolívia é da responsabilidade do Ministério do Trabalho e da Previdência Social, que tem autoridade para investigar queixas de violações da lei laboral e impor sanções aos empregadores que violem a lei.

As principais características da lei laboral e laboral na Bolívia incluem:

Contratos de trabalho

Os contratos de trabalho devem ser escritos e especificar os termos e condições de emprego, incluindo a duração do contrato, o salário, e os benefícios. Os contratos podem ter uma duração fixa ou indefinida, e os empregadores são obrigados a fornecer aos empregados uma cópia do contrato.

Na Bolívia, existem dois tipos principais de contratos de trabalho: contratos a termo certo e contratos por tempo indeterminado.

  • Contratos a prazo: são contratos de trabalho que têm uma duração especificada, como por exemplo seis meses ou um ano. Os contratos a prazo são tipicamente utilizados para trabalho temporário ou sazonal, ou para projectos ou tarefas específicas. O contrato termina automaticamente no final da duração especificada, a menos que seja renovado ou prolongado por acordo mútuo das partes.
  • Contratos por tempo indeterminado: são contratos de trabalho que não têm uma duração especificada e continuam até serem rescindidos pelo empregador ou pelo empregado. Os contratos por tempo indeterminado são tipicamente utilizados para emprego permanente. Os empregadores são obrigados a fornecer um contrato de trabalho escrito aos empregados que são contratados por tempo indeterminado.

Existem também outros tipos de acordos de trabalho na Bolívia que não podem ser considerados contratos de trabalho, tais como acordos de empreiteiros independentes ou trabalho temporário.

Compensação de emprego, direitos e benefícios na Bolívia

  • Salário mínimo: o governo estabelece um salário mínimo que os empregadores devem pagar aos seus empregados. O salário mínimo é revisto anualmente e ajustado, se necessário, para reflectir as mudanças no custo de vida.
  • Horário de trabalho: a semana normal de trabalho na Bolívia é de 48 horas, com um máximo de oito horas por dia. Os empregadores são obrigados a conceder aos empregados um mínimo de um dia de folga por semana. Os empregados que trabalham mais de oito horas por dia ou 48 horas por semana têm direito ao pagamento de horas extraordinárias.
  • Segurança social: os empregadores são obrigados a contribuir para o sistema nacional de segurança social, que fornece prestações como cuidados de saúde, pensões e seguro de invalidez.
  • Sindicatos: os empregados têm o direito de formar e aderir a sindicatos, e os empregadores são obrigados a negociar com os sindicatos sobre questões como salários e condições de trabalho.
  • Férias e férias: os empregados têm direito a férias pagas e férias, que variam em função da duração do serviço. Por exemplo, os empregados que trabalharam durante menos de um ano têm direito a 15 dias de férias pagas, enquanto os empregados que trabalharam durante mais de cinco anos têm direito a 30 dias de férias pagas. Os trabalhadores também têm direito a feriados públicos pagos.
  • Licença por doença: os empregados que não possam trabalhar devido a doença ou lesão têm direito a licença por doença. A quantidade de licença por doença depende do tempo de serviço, mas normalmente varia entre 10 a 60 dias por ano.
  • Licença de maternidade: as trabalhadoras têm direito a 12 semanas de licença de maternidade remunerada, que pode ser prolongada até seis semanas em determinadas circunstâncias.

Cessação de emprego e indemnização por despedimento

Os empregadores podem rescindir o contrato de um empregado por justa causa, tal como má conduta ou mau desempenho. Os trabalhadores que são despedidos sem justa causa têm direito a uma indemnização por despedimento, que é calculada com base no tempo de serviço e no salário do trabalhador.

Os empregadores podem também oferecer benefícios adicionais aos seus empregados, tais como seguro de saúde, seguro de vida, ou planos de reforma. No entanto, estes benefícios não são obrigatórios ao abrigo da lei boliviana.

Quer entrar neste mercado latino-americano?

Contacte agora os seus peritos Damalion. Assistimos entidades jurídicas estrangeiras na criação de empresas na Bolívia e, além disso, fornecemos várias soluções empresariais integrais, incluindo conformidade, gestão de entidades, contabilidade, impostos, apoio à folha de pagamentos, e muitas mais em todo o país.

Se desejar saber mais sobre os nossos serviços e como o podemos ajudar a fazer da sua empresa boliviana um sucesso, contacte hoje os seus peritos Damalion.

 

9 + 11 =

Quer saber mais sobre o Escritório Damalion Bolívia?

Damalion oferece-lhe conselhos personalizados fornecidos por especialistas directamente operacionais nas áreas que desafiam o seu negócio.

Aconselhamo-lo a dar informações no seu melhor, para que possamos qualificar a sua procura e reverter para si nas próximas 8 horas.